Entre as medidas para recompor o orçamento do Brasil anunciadas pelos ministros Joaquim Levy, da Fazenda, e Nelson Barbosa, do Planejamento, uma delas é a redução de 30% nas alíquotas do Sistema S.

Os valores arrecadados pelas entidades vêm da contribuição sobre a folha de salário e são considerados recursos públicos, que pela medida passarão a ser direcionados para a Previdência Social – o que renderá mais R$ 6 bilhões aos cofres públicos em 2016.

A Controladoria Geral da União, a CGU, revelou que em 2014 as entidades do Sistema S tiveram receita de R$ 31,09 bilhões. Em 2013, o valor foi de R$ 27,12 bilhões e, em 2012, de R$ 22,82 bilhões.

O Tribunal de Contas da União, o TCU, informou que em 2013 as entidades do setor tinham investido R$ 16,64 bilhões.

A medida é importante para o Planalto, não apenas para recompor as finanças do governo federal e garantir o pagamento dos aposentados do País, mas para levantar o debate sobre o que vem sendo praticado pelas entidades do Sistema S.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar