Fundação Santo André
Reitor extingue eleição e passa a nomear gestores das faculdades

 

fsa fachadasO reitor da FSA (Fundação Santo André), Francisco José Santos Milreu, acabou com o processo de eleição direta para os cargos de coordenadores de curso da instituição de ensino superior. Por meio de portaria publicada no dia 5 de abril, foi instituído modelo em que os docentes responsáveis pela Faeco (Faculdade de Economia), Faeng (Faculdade de Engenharia) e Fafil (Faculdade de Filosofia) passam a ser escolhidos e nomeados pela reitoria.


As mudanças propostas por Milreu, possíveis a partir de alteração do estatuto do centro universitário – em vigor desde 30 de março – e aprovadas pelo conselho universitário sob o argumento de economia financeira, culminaram na destituição de 23 professores coordenadores de seus cargos um ano antes do vencimento do mandato, em março de 2020. Também foram extintos os postos de diretor e vice-diretor das três faculdades.


Em substituição aos coordenadores, nova estrutura foi criada, formada por um diretor acadêmico, responsável pelas três faculdades; três coordenadores acadêmicos de áreas (um para engenharias e arquitetura, um para ciências naturais, educação e humanidades, e outro para gestão de negócios e tecnologia); além de sete coordenadores adjuntos de áreas.


A lista dos novos coordenadores, nomeados por meio de portaria no dia 5, conta com 11 profissionais, sendo seis deles (inclusive o diretor acadêmico) integrantes do conselho universitário, responsável por aprovar as mudanças estruturais.


Mais do que a reitoria passar a nomear gestores em cargos de confiança dentro das faculdades, o “mais grave”, na visão do professor Ricardo Alvarez, desligado do quadro de funcionários da FSA em dezembro, é extinguir a tradição de perfil democrático da instituição. “Se o objetivo era economizar, o reitor poderia criar cargos com salários menores, mas manter a eleição pela comunidade. Vemos que ele se tornou um ditador autoritário”, destaca.


Vice-reitor da FSA, Rodrigo Cutri observou que a nova estrutura “contempla a participação de gestores que se encontravam em exercício no modelo anterior e busca otimizar o atendimento às demandas de cunho administrativo e acadêmico”. Questões orçamentárias não foram citadas.
CRISE INTERNA
Nomeado reitor há cerca de um ano, Milreu coleciona polêmicas dentro da instituição de ensino superior. A primeira delas é ter confirmado ao Diário que ingressou no centro universitário sem ser submetido a concurso público, o que é proibido por lei. A informação posteriormente foi negada pela instituição de ensino, embora documentos comprobatórios nunca tenham sido apresentados. CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instalada na Câmara de Santo André apura as possíveis irregularidades na contratação de Milreu.
O Diário denunciou, ainda, a aprovação de Milreu em primeiro lugar em concurso para contratação de professores da FSA, em março. O certame é alvo de inquérito civil por parte do Ministério Público.

Do Diário do Grande ABC
09/04/2019 | 07:00


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Mais Lidas