ūüö© Greve na Metodista ūüö©
Ano novo e a luta é antiga: Os professores e professoras da Universidade Metodista decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, a partir desta quarta-feira, dia 10, quando os alunos retornam para o ano letivo.
A paralisa√ß√£o ocorre novamente em decorr√™ncia dos in√ļmeros atrasos no pagamento dos sal√°rios, da n√£o regulariza√ß√£o dos recolhimentos dos dep√≥sitos do FGTS , do n√£o pagamento no prazo legal das f√©rias e do ter√ßo constitucional entre outras denuncias feitas.
Os docentes est√£o cansados do calote. O SinproABC ‚Äď Sindicato dos Professores do ABC lembra que desde de abril de 2020 n√£o √© feito o pagamento dos sal√°rios integralmente.
Nem as determina√ß√Ķes do Minist√©rio P√ļblico do Trabalho foram suficientes para que o Grupo Metodista cumprisse o que havia se comprometido com o corpo docente.
A resist√™ncia e o enfretamento √† Metodista entram no seu terceiro ano. O ano de 2019 e 2020, foi marcado por paralisa√ß√Ķes, uma resposta dos docentes √† Universidade que n√£o respondia √†s demandas da categoria. Est√° em curso diversos processos em que o SinproABC, questiona na justi√ßa os direitos trabalhistas negados pela Universidade. Os processos s√£o frutos do desrespeito da Institui√ß√£o, aos direitos trabalhistas, ao seu corpo discente, √† comunidade do entorno.

Mais Lidas