assembleia29Mobilização une professores e auxiliares em defesa de salários e direitos na Metodista

A mobilização pela greve foi decidida nesta quarta-feira, 29/01, em assembleia com grande participação na Câmara Municipal de São Bernardo.

A assembleia foi realizada em conjunto pelo Sinpro ABC, que representa os professores na instituição, e pelo SAAE-ABC, representando os auxiliares de administração escolar.

Professores e auxiliares discutiram e rejeitaram, por unanimidade, o ‘planejamento’ apresentado pela direção da UMESP. Em resposta à instituição, a assembleia estabeleceu prazos para o pagamento de salários atrasados e exigiu outras garantias, como segue:

- salário de novembro/pagar até 31/01.
- salário integral de janeiro/pagar até 07/02.
- salário de dezembro, férias, 13°/pagar de março a junho (4x).
- Exigir da instituição a garantia de não atrasar mais nenhum salário.
- Pagar os vales atrasados (ali, ref e transp) dos funcionários até 07/02. AUXILIARES.
- O pagamento dos atrasados não quita os débitos: multa por atraso e dobra de férias.
- NOVA ASSEMBLEIA 07/02 às 19h - local a definir.

metodista2

 

O SinproABC - Sindicato dos Professores do ABC informa que adotou medidas judiciais com relação a Universidade e o Colégio Metodista diante dos sucessivos atrasos de salários. 


Como descritas abaixo:

O SinproABC Judicializou a questão referente aos salários de outubro relativo a Universidade Metodista e entrou com pedido de tutela antecipada e multas diárias sobre esses salários. Lembrando que a Instituição pagou os salários dos docentes do Colégio e manteve em atraso o salário da Universidade. O Sindicato informa que mesmo que esteja sendo pago o salário o processo esta correndo para que os professores possam receber a multa diária;

O Sinpro já entrou com o processo para os salários de novembro e com pedido de tutela antecipada, além de solicitar o pagamento de multa diária;

SinproABC esta denunciando, junto ao Ministério Público do Trabalho e aos órgãos competentes, os atrasos sucessivos de salários;

A entidade vai aguardar o pagamento do 13º até 20 de dezembro para entrar com processo, pois a data é o prazo final para pagamento final da 2 º parcela do 13º, ou seja, o SinproABC deve aguardar até a data para entrar com o processo reivindicando especificamente o 13º salario.

METO2020

SinproABC e SAAEABC se unem para exigir direitos

 

Nem o acordo coletivo, nem o acordo judicial que a Rede Metodista assinou com o SinproABC – Sindicato dos Professores do ABC, mediado com o Tribunal Regional do Trabalho foram suficientes para que a Instituição cumprisse o que havia se comprometido com os professores e professoras. 

Sem pagamento de salário de novembro para a maioria dos docentes, do décimo terceiro e férias, os educadores iniciaram o ano com muita indignação.

Nesta terça-feira, dia 21, os docentes se reuniram na sede do SinproABC – Sindicato dos Professores do ABC. Com presença expressiva definiram a próxima quarta-feira, dia 29, como a data para assembleia da categoria. O local será na Câmara Municipal .

Na assembleia vai  deliberar sobre as novas formas de pressão para receber os salários atrasados, sobretudo férias e decido terceiro e sobre o posicionamento da entidade que agendou com o Sindicato uma reunião para um dia antes, dia 28, terça-feira.

Com a situação caótica os professores relatam despejo de suas moradias, tratamento de saúde suspenso, entre outros casos o que tem aumentado a revolta entre os profissionais  .

A professora Cristiane Gandolfi lembra que ao longo do ano os professores não receberam o salário no quinto dia útil como propõe a CLT. Muitos professores estão endividados e a situação caótica e humilhante, descreve Gandolfi.

Com oito anos trabalhando na Universidade a Professora, Rosana Verlucci, que atua em cursos de tecnologia em gestão espera por respeito e transparência por parte da instituição. Ela ressalta que com o marido desempregado tem vivenciado uma realidade cruel.

A presidente do SinproABC, Edilene Arjoni, foi enfática em dizer que nova paralisação das atividades não será descartada caso a rede Metodista mantenha a falta de respeito com os docentes, não pagando os salários corretamente

SinproABC e SAAEABC se unem para exigir direitos

O Sindicato dos Auxiliares Administrativos em Escola tem se unido a luta dos professores. A entidade que é bastante representativa e soma mais de mil trabalhadores na Metodista que atuam na limpeza, portaria, administração e contabilidade.

O presidente do SAAEABC, Donisete Gimenes Angelo, relata que há inúmeros trabalhadores com cerca de 30 anos de empresa que estão trabalhando sem receber e que a situação esta insustentável.

CARTAZ fsa11 09 19 DOCS web

Em reunião, no último dia 5, os professores e professoras da FSA debateram sobre a Ação de Cumprimento interposta pelo SINPRO-ABC, em face da Fundação Santo André que foi condenada ao pagamento: 

a) da multa diária por mora salarial de 1/50(=2%) do salário do professor, considerando os meses de novembro/14, dezembro/14, abril/15, maio/15, bem como o reajuste a ser pago em junho/15(diferenças salariais retroativas a março), e o lapso de mora entre a data legal ou convencional para pagamento e a data do efetivo pagamento da última parcela em atraso de cada mês;
b) da dobra de férias + 1/3 de julho/15;
c) de uma multa normativa da cláusula 54 da CCT 2015.
O Tribunal determinou que a execução da decisão judicial se dará de forma individual.

Para promover a execução individualmente, é necessário os seguintes documentos:
- Procuração; RG, CPF e PIS; CTPS; holerites de 2014 e 2015; e, extrato analítico do FGTS atualizado (cópias digitalizadas em PDF para juríEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). E caso de dúvidas, entre em contato com o jurídico do SINPRO-ABC pelo e-mail anterior.

Mesmo com a saída do ex reitor, Fernando Milreu, consequência de uma importante ação do Sinpro-ABC - Sindicato dos Professores do Grande ABC, em parceria com a Câmara Municipal sob a liderança da vereadora Bete Siraque PT, a situação da FSA continua tensa motivo pelo qual obrigou a categoria recorrer a justiça para ter seus salários regularizados .

 

Mais Lidas