NIVALDO SITE

É com muita tristeza que o Sindicato dos Professores do ABC- SinproABC, informa o falecimento de Nivaldo Tadeu Amadio.
Nivaldo lutava há mais de 2 anos contra um câncer e nessa batalha diária, todos nós do SinproABC, compartilhávamos a esperança de uma cura.
Que Deus conforte o coração dos amigos, dos familiares e em especial de sua esposa, a nossa amiga de trabalho Rosângela Corina Amadio.
Nivaldo faleceu em casa, na manhã de hoje aos 38 anos.

fundeb2Arte SITEDia histórico para aqueles que acreditam e lutam pela educação. Câmara aprova o novo Fundeb, derrota governo e impede caos educacional.

Nós do SinproABC –Sindicato dos Professores do ABC, estamos em festa, a aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb é sinônimo de luta e união dos educadores e da população.
O texto-base aprovado torna o Fundeb permanente e aumenta a participação da União no financiamento da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio. Nós temos certeza que é a Educação a ponte capaz de criar uma perspectiva de futuro e hoje mais que nunca o pensamento do educador Paulo Freire se torna imprescindível : “A educação sozinha não muda o mundo, mas a educação muda as pessoas, e as pessoas mudam o mundo”.

Foram 449 votos a 7 contra ( saiba mais abaixo) , o texto-base da PEC 15/15, que cria o novo Fundeb. Deputados destacaram o papel dos professores e professoras que fizeram pressão por todo Brasil.
Para o SinproABC a ação coordenada de união e mobilização, seja ao vivo ou remotamente, se mostra fundamental na garantia de avanços e na manutenção dos direitos .
Há um sabor de vitória também, pois além de aumentar a quantidade de recursos que a União passa a depositar no fundo, o novo formato diminui a desigualdade, destinando mais dinheiro aos municípios mais pobres.
A proposta foi aprovada na forma do substitutivo da deputada Professora Dorinha (DEM-TO), que apresentou novo parecer, ampliando a parcela da União no fundo dos atuais 10% para 23%..

Para nós professores e professoras é dignificante e renova nossas esperanças saber que com as mudanças, 17 milhões de alunos a mais serão beneficiados no País, por meio de recursos para as escolas em que estudam.

No 1º turno foram 449 votos a 7 e, no segundo, 492 votos a favor e 6 contrários (saiba quem votou contra abaixo).
A aprovação desta terça-feira foi do texto-base em primeiro turno. Deputados precisam ainda votar os destaques (pedidos de alteração) e depois o segundo turno. Posteriormente, a proposta segue para o Senado Federal .

Vitória dos profissionais da educação

Histórico – O Fundeb foi promulgado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro da Educação Fernando Haddad (PT), que na época ajudou a pensar o fundo de financiamento da educação básica. A vigência do modelo atual termina em dezembro deste ano. Conforme a PEC, a complementação da União para o Fundeb crescerá de forma gradativa ao longo dos próximos seis anos (2021 a 2026). O Fundeb reuniu R$ 156,3 bilhões em 2019 e estabelece ainda que no mínimo 70% do valor do Fundo será usado para pagamento dos profissionais da educação. O texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 15/15, é de autoria da ex-deputada mineira Raquel Muniz (PSD).,

Governo quer sentar na janela: O Governo se recusou a discutir a prorrogação até a véspera da votação, o que chegou a colocar o mecanismo em risco. No sábado, o governo quis destinar recursos do fundo renovado ao Renda Brasil, que ainda está sendo desenhado pela equipe econômica para substituir o Bolsa Família, para driblar o teto dos gastos federais (que não atinge o Fundeb), e ainda limitar o gasto com salário de professores.

Como Funciona: O fundo funciona como uma conta bancária que recebe 20% do que é arrecadado em impostos, na maioria estaduais, como ICMS e IPVA

Aumento gradativo: Os Estados mais pobres ganhavam ajuda financeira da União, que até hoje representava 10% do Fundeb. Com a aprovação desta terça-feira, dia 21, o governo federal passa a responder por 23% do total dos recursos, que vai aumentar gradativamente durante seis anos.

Frases :
“A educação sempre foi uma preocupação do meu mandato. Sei o quanto a educação é importante para transformar vidas. Então, ter plantado essa semente que agora deu fruto e que traz avanço para a educação pública é gratificante. O relatório fruto de consenso, é uma conquista histórica. Fazer parte dessa história, muito me honra”, afirma Raquel Muniz (PSD).

"Vamos assegurar pela primeira vez que a educação infantil tenha prioridade", disse Dorinha (DEM-TO) , relatora

"Nos últimos dias alguns grupos surgiram para dizer que esse não era o momento para aprovar o Fundeb, pois estamos passando por uma grave crise econômica e fiscal. Se enganam aqueles que pensam que educação não pode contribuir com a superação da crise que estamos vivendo, serão nossas escolas públicas que acolherão os estudantes", afirmou a deputada Tabata Amaral (PDT-SP)

"Nós estamos deixando claro na Constituição, na carta magna, que não vamos sossegar enquanto tiver um brasileiro ainda sem acesso à educação", disse a deputada Soraya Santos (PL-RJ).

O meu sentimento é de gratidão aos profissionais de educação, principalmente da rede básica, e à comunidade educacional – professores, trabalhadores da educação, estudante e pais que se mobilizaram e que estão acompanhando a votação do novo Fundeb, que vai garantir educação de qualidade para milhares de brasileiros”. A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), vice-presidente da comissão especial que analisou a PEC.

O Fundo é o maior programa de repartição de renda do Brasil. Ele constrói desde a educação infantil e a creche até o final do ensino médio, passando pela educação de crianças com deficiência e pela Educação de Jovens e Adultos — EJA. Comemorou Maria do Rosário ( Deputada. Federal PT)

Aprovação do Fundeb é consagração da atuação de Lula na Educação básica, diz ex Ministro da Educação Fernando Haddad . "Orgulho de ter participado dessa pequena revolução!"

Quem votou contra
Seis parlamentares que se opuseram à proposta, cinco são do PSL, partido que elegeu o presidente Jair Bolsonaro e do qual ele se desfiliou para criar outro, o Aliança pelo Brasil. São eles: Bia Kicis (PSL-DF), Chris Tonietto (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio Amaral (PSL-MG) e Márcio Labre (PSL-RJ). Paulo Martins (PSC-PR) .

joseMentorO SinproABC lamenta profundamente a morte do ex-deputado federal José Mentor aos 71 anos. Ele, que estava internado no Hospital 9 de Julho, na cidade de São Paulo após ser diagnosticado com a Covid19.


Parlamentar de destaque, sua militância política teve início no movimento estudantil. Na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Mentor auxiliou na construção do Centro Acadêmico 22 de Agosto, do DCE-Livre da PUC e também da reconstrução da União Estadual dos Estudantes e da UNE.

Foi também membro da Comissão Arquidiocesana dos Direitos Humanos e Marginalizados de São Paulo e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores. Pela legenda, foi deputado estadual entre 1990 e 1991, vereador entre 1993 e 2002, e deputado federal entre 2003 e 2019.

O SinproABC se solidariza a à família do ex-deputado federal, lamenta a ausência que deixará daqueles que lutam por um país mais justo e lembra com orgulho o imenso o legado de lutas deixado por ele.

José Mentor, Presente!

Sindicato dos Professores do ABC

MPTcovidwebNota Técnica Min.Publico do Trabalho | GT COVID 19: Proteção à saúde dos professores durante a pandemia

Em Nota Técnica o MPT destaca medidas que devem ser adotadas a fim de proteger o trabalho do professor (a)

Entre os quais:

FORNECER, por meio de profissionais especializados, orientações sobre exercícios de ginástica laboral, que objetivem evitar lesões decorrentes de movimentos repetitivos;

OBSERVAR, em relação à jornada contratual das(os) trabalhadoras(es), a adequação das atividades pedagógicas na modalidade de teletrabalho e em plataformas virtuais, considerando tanto as atividades realizadas pelo meio digital, quanto o período de capacitação, adaptação ao novo modelo de trabalho, prévio de preparação do material a ser utilizado e posterior de orientação e avaliação do aluno, de modo a não permitir jornadas de trabalho excessivas, que sobrecarreguem os profissionais, acarretando-lhes desgastes físicos e mentais;

ADEQUAR, devido ao maior desgaste psicossomático da ministração de aulas por meios virtuais, a distribuição das atividades e dos tempos de trabalho, sem qualquer prejuízo da remuneração;

oms FALA2siteEm entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (23/7), o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que o mundo não voltará a ser como antes da Covid-19. “Não voltaremos ao ‘antigo normal’. A pandemia já mudou a maneira como vivemos. Ajustar-se ao novo normal é encontrar maneiras de viver de modo seguro. É algo que pode ser feito, mas como chegar lá depende de onde você vive e das suas circunstâncias”, diz.

Ghebreyesus explicou que, como a maioria da população mundial ainda não está imunizada contra a doença, as recomendações de prevenção, como usar máscara, manter o distanciamento social e lavar as mãos com frequência, seguem necessárias. “Enquanto o coronavírus estiver circulando, todos estão em risco”, diz.

Sindicato dos Professores do ABC

fim daMP927 reduzSincronizados e atentos aos direitos dos professores e professoras, o Sindicato dos Professores do ABC - SinproABC e demais sindicatos foram firmes na pressão e conseguiram reverter e fazer caducar a Medida Provisória 927 . A MP 927 era uma manobra para tentar alterar as regras trabalhistas durante o período da pandemia.

Longe sim, mas sempre vigilantes às manobras que tentam atacar os direitos.
A vitória é significativa, pois o Senado retirou da pauta de votação e a MP vai caducar. O prazo de vigência da proposição expira no próximo dia 19 (domingo). A retirada de pauta atende a manifestações do movimento sindical, que solicitaram aos parlamentares que votassem contra ou a deixassem caducar.

Valeu a gritaria!!
Já em 31 de março, a Fepesp alertava “O governo aproveita o estado de calamidade pública decretado para o combate à contaminação pelo coronavírus para dar um refresco às empresas, à custa de pisotear leis do trabalho e fragilizar quem trabalha para sobreviver” (veja aqui: https://bit.ly/2WUhvqF).

Mais Lidas