EDU BOLS3 diteDurante seu discurso em um ato pró-armas que aconteceu no último domingo (9), em Brasília, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) comparou professores “doutrinadores” à traficantes, afirmando de maneira caluniosa que os profissionais, assim como os criminosos, tentam “sequestrar” e levar os alunos para o crime.

A fala do deputado é desprezível e desconectada da realidade, uma vez que seu pai, o ex-presidente Jair Bolsonaro, em todo o seu mandato trocou cinco vezes o Ministro da Educação e não apresentou nenhum projeto ou investimento relevante para a profissão docente ou para a educação.

Além disso, Eduardo Bolsonaro ignora o papel social dos educadores ao trabalhar competências e habilidades dos estudantes para que se desenvolvam plenamente no contexto social e cidadão.

Lembramos também ao deputado e a todos que concordam com suas falas que um país melhor se constrói com mais livros, mais educação e menos armas!

Por fim, o SINDICATO DOS PROFESSORES DO ABC se soma às várias entidades docentes do país e repudia veementemente sua fala!

Agende com antecedência e garanta seus ingressos sem pagar NADA durante julhoCAN CAMINHO DO MAR SITE

Durante o mês de julho, você e mais dois acompanhantes ganham ingressos para conhecer o PARQUETUR – Caminhos do Mar, localizado em São Bernardo do Campo.

Chegou a hora de descansar e aproveitar as férias em uma Unidade de Conservação da Mata Atlântica.

O espaço reúne opções de lazer para toda a família com direito a um roteiro histórico, ecoturístico e muita aventura. Saiba mais no site: www.caminhosdomar.com.br.

Termos e condições para a gratuidade:

- Entrada 100% gratuita ao Parque Caminhos do Mar para Professores, Coordenadores e Diretores de Escola.
- Até 02 acompanhantes com direito a entrada 100% gratuita ao Parque Caminhos do Mar (precisando visitar no mesmo dia)
- Válido apenas mediante apresentação do comprovante profissional na bilheteria
- Preenchimento dos questionários (pré e pós visita). Link disponível no whatsapp do SINPRO ABC.
- Agendamentos precisam ser realizados com antecedência de 48 horas antes da visita no e-mail : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Para mais informações entre em contato com o SINPRO ABC!

 

COMUNICADO SINPRO 06 2023 site

Santo André, 14 de junho de 2023.

 Às escolas particulares do ABC

SINPRO ABC - SINDICATO DOS PROFESSORES DO ABC, na qualidade de representante legal da categoria dos docentes, vem à presença de V.Sa. informar que nossos boletos de Cobrança de Mensalidade Sindical ou Contribuição Assistencial são enviados com as informações da CAIXA.

Pedimos que, ao pagarem os boletos das contribuições, verifiquem se o nome do beneficiário é o Sindicato dos Professores do ABC (CNPJ: 53.714.440/0001-77) e se o boleto é da CAIXA, agência 2075, caso contrário não efetue o pagamento e nos comunique imediatamente.

Sindicato dos Professores do ABC
Fone/WhatsApp 11 4994-0700

30052023 plMais uma vez, a direita fascista tenta, a todo custo, apagar a história e riscar do mapa os povos originários do Brasil. Com o PL 490, em tramitação desde 2007, a demarcação de terras indígenas deixa de ser uma atribuição da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), transferindo do Poder Executivo para o Legislativo a competência para tal. Ou seja, cabe à Câmara dos Deputados e ao Senado fazer a aprovação das demarcações.

Ainda, com a alteração ao Estatuto do Índio, será preciso comprovar que, até a promulgação da Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988, as terras a serem demarcadas eram habitadas em caráter permanente e utilizadas para atividades produtivas pelos indígenas, entre outros aspectos. Se aprovado, ficará proibido ampliar as terras já demarcadas e serão anuladas as demarcações que não cumpram com as determinações da lei - o que é conhecido como Marco Temporal.

Não bastassem as imposições restritivas do PL, os povos originários veem suas vidas nas mãos de um Congresso conservador, majoritariamente composto por apoiadores do ex-presidente Bolsonaro, que não respeitam as minorias, a história e a vida humana, como ficou comprovado, em especial, durante a pandemia. Em poucas palavras, é, basicamente, legalizar a prática do extermínio dessa população - conduta adotada pela gestão presidencial 2018/2022, evidenciada no descaso e matança aos Yanomamis, por exemplo.

O SINPRO ABC manifesta seu total repúdio à aprovação do PL 490 e clama para que a categoria faça coro contra esse retrocesso. Há disponível o site https://pl490nao.com.br/ em que é possível participar de ações em defesa dos povos originários e pressionar o Legislativo para que deputados e senadores impeçam tais mudanças.

O progresso da Nação não passa pela dizimação da população indígena. Todo e qualquer projeto de modernização de estradas, construção de moradias ou obras para quaisquer tipos de prestação de serviço devem, acima de tudo, preservar a cultura, o meio ambiente e a sobrevivência daqueles que resistem bravamente pelo direito de viver.

Mais Lidas