COMUNICADO SINPRO 06 2023 site

Santo André, 14 de junho de 2023.

 Às escolas particulares do ABC

SINPRO ABC - SINDICATO DOS PROFESSORES DO ABC, na qualidade de representante legal da categoria dos docentes, vem à presença de V.Sa. informar que nossos boletos de Cobrança de Mensalidade Sindical ou Contribuição Assistencial são enviados com as informações da CAIXA.

Pedimos que, ao pagarem os boletos das contribuições, verifiquem se o nome do beneficiário é o Sindicato dos Professores do ABC (CNPJ: 53.714.440/0001-77) e se o boleto é da CAIXA, agência 2075, caso contrário não efetue o pagamento e nos comunique imediatamente.

Sindicato dos Professores do ABC
Fone/WhatsApp 11 4994-0700

30052023 plMais uma vez, a direita fascista tenta, a todo custo, apagar a história e riscar do mapa os povos originários do Brasil. Com o PL 490, em tramitação desde 2007, a demarcação de terras indígenas deixa de ser uma atribuição da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), transferindo do Poder Executivo para o Legislativo a competência para tal. Ou seja, cabe à Câmara dos Deputados e ao Senado fazer a aprovação das demarcações.

Ainda, com a alteração ao Estatuto do Índio, será preciso comprovar que, até a promulgação da Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988, as terras a serem demarcadas eram habitadas em caráter permanente e utilizadas para atividades produtivas pelos indígenas, entre outros aspectos. Se aprovado, ficará proibido ampliar as terras já demarcadas e serão anuladas as demarcações que não cumpram com as determinações da lei - o que é conhecido como Marco Temporal.

Não bastassem as imposições restritivas do PL, os povos originários veem suas vidas nas mãos de um Congresso conservador, majoritariamente composto por apoiadores do ex-presidente Bolsonaro, que não respeitam as minorias, a história e a vida humana, como ficou comprovado, em especial, durante a pandemia. Em poucas palavras, é, basicamente, legalizar a prática do extermínio dessa população - conduta adotada pela gestão presidencial 2018/2022, evidenciada no descaso e matança aos Yanomamis, por exemplo.

O SINPRO ABC manifesta seu total repúdio à aprovação do PL 490 e clama para que a categoria faça coro contra esse retrocesso. Há disponível o site https://pl490nao.com.br/ em que é possível participar de ações em defesa dos povos originários e pressionar o Legislativo para que deputados e senadores impeçam tais mudanças.

O progresso da Nação não passa pela dizimação da população indígena. Todo e qualquer projeto de modernização de estradas, construção de moradias ou obras para quaisquer tipos de prestação de serviço devem, acima de tudo, preservar a cultura, o meio ambiente e a sobrevivência daqueles que resistem bravamente pelo direito de viver.

22052023 juninaAtenção, professores!

Com a chegada da temporada de Festas Juninas nas escolas, o SINPRO ABC alerta:

- Trabalho aos sábados deve ser pago como hora-extra

- É vedado o trabalho aos domingos

Em caso de descumprimento, denuncie ao SINPRO ABC pelo nosso WhatsApp (11) 4994-0700. Vale lembrar que a orientação cabe para o ano todo, contudo, o Sindicato reforça em razão do período de festas.

A presidente do SINPRO ABC, Edilene Arjoni, é uma das convidadas do debate sobre violência nas escolas, promovido pelo vereador de Santo André, Wagner Lima (PT), realizado no dia 4 de maio de 2023.
Neste primeiro trecho, a professora Edilene discorre sobre o que, para ela, tem motivado o crescente número de casos de violência contra as escolas. A íntegra da conversa está disponível no Instagram da professora Bete Siraque @betesiraque.13

 

 SINPRO ABC debate violência nas escolas - Parte 2

 

 

Violência nas escolas  - Parte 3

 

Mais Lidas